29 de Abril de 2011 ♥

domingo, 30 de maio de 2010

vírgulas,

Hoje, pergunto-te, porque é que o teu regresso é tão constante e ao mesmo tempo, inconstante? Não entendo os teus actos quando decides regressar, e num ápice, abandonar-me. O meu pensamento deixou de compreender o teu. Existem tantas questões, e tão poucas respostas inacabadas. Não entendo essa tua estranha forma de amar, tão indecisa. Talvez os erros sejam meus...Talvez tenha sido eu quem não deu o devido valor ao que entre nós existia. Não sei distinguir uma nota, que sobre ti se faz ouvir. Os tempos passam, e tudo se torna um hábito, como se já soubesse de cor tudo o que iria acontecer.
Deixei de acreditar em todas as palavras que um dia me disseste. Sinto saudade de todos os aviões, de todos os submarinos, sinto saudade de todo o ar, e de todo o mar.
Que tudo se vá, menos todas as memórias que aqui ficaram.



Eu vivo na estrada do teu olhar.



4 + 1?:

Joana disse...

Obrigada por seguires :)
Adorei o blog. Vou seguir também *.*

Beijinhos

catarina disse...

vais ver que com o tempo tudo vai melhorar :)
(gostei imenso do teu blog, já agora)

catarina disse...

se calhar as coisas tem que ser mesmo assim, nós nunca podemos controlar o que sentimos :s

catarina disse...

daqui a um tempo, vais olhar para isto de outra forma, e ver que só te fortaleceu como pessoa, e que te fez crescer, que no final até foi algo bom para ti