29 de Abril de 2011 ♥

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Pater Poesis

Pater, hoje lembrei-me destes meses que tenho passado contigo.
Lembrei-me do que me ensinaste e do que me continuas a ensinar.
És como um pai para mim, um pai que está sempre presente quando mais preciso.
Foste a única pessoa que me ouviu chorar desalmadamente.. foste o único que me causou uma preocupação de uma enorme grandeza e intensidade. Não me perguntes como consegui chorar com um desconhecido, isso é algo que ainda hoje permanece sem resposta na minha mente.És alguém que admiro com o coração. Talvez sejam as tuas histórias demasiado verídicas que me surpreendem, talvez sejam as tuas palavras em verso tão doces e profundas.É esse teu grito de paz que libertas e que se faz ouvir no meu pensamento que constrói o meu sorriso.A tua imensidão de palavras calmas, livres de voar como quiserem. Tu sim, tens em ti todos os sonhos o mundo, tens em ti todas as vidas da tua vida, todas as memórias da tua memória. És o filho do tão idolatrado Pessoa, és quem segue os seus passos. És aquele que já vivenciou experiências de um fim de uma vida, és o que doa o seu coração para quem não sabe do dele, és o que dispõe do seu tempo para ouvir quem precisa.
És o que finge resistir a tudo para não preocupar ninguém. És o que vive no fundo, muitas vezes sem ninguém do seu lado. Se eu te pedisse para me contares uma história, tenho a certeza que não saberias como contá-la, pela imensidão das suas páginas, palavras e letras, e pelo tão profundo sentimento que ela transporta. És quem me inspira, és quem me faz sorrir. És feito de poesia e de vida, és dotado de palavras e muito mais.
Adoro-te, pai.




7 + 1?:

PauloSilva disse...

Que lindo texto!

Catarina disse...

Belo texto

Pคтєภ P๏єรเร disse...

Oh Catarina... :')

Não te vou dizer dizer que chorei a ler isto, porque isso é banal, mas que eu sorri, sorri...
Não senti uma lágrima a cair , mas senti a no canto dos olhos...

Não é o primeiro texto que escrevem para mim, e não foi o primeiro que me deixou sem palvras, mas cada texto que escreveram é unico e cada pessoa que o escreveu também o é...

Oh pah, obrigado por tudo a sério...

Obrigado por teres estado comigo, quando quase toda a gente me virou as costas, obrigado por teres sido a unica que me disse as coisas na cara enquanto os outros diziam pelas costas... obrigado por depositares confiança neste desconhecido e mostrado isso ao procurares me para partilhares as tuas historias tao identicas às minhas. Obrigado por seres tão crescida e mesmo assim aturares um cota chato como eu :) E desculpa as minhas pequenas birras, as minhas más disposiçoes, desculpa ter me revoltado contra ti sem razão... Eu não sou perfeito, nem perfecionista sou mais, perdi o dom de pensar antes de errar, mas ainda nao perdi o dom de pensar depois de errar...

Vá uma ultima pergunta:" Tens a certeza que tens 13 anos^?" ;)

Agora vamos directos ao assunto... Não preciso de bolachas... Eu chupo te o penso na mesma! <3

laura disse...

Adoro! Adorei mesmo!

V'Andreia disse...

Está Lindo :D

catarina disse...

adoro o texto, e gosto imenso da forma como escreves :)

Anónimo disse...

Talvez seja a nostagia, a melancolia, nem sei se é saudade.... Talvez um dia, talvez para sempre, talvez seja apenas uma recordação ou simplesmente haverá um dia em que eu pense no passado e diga a mim próprio:" Tenho uma vaga ideia, mas não me lembro muito..." Não interessa, há coisas que só são marcantes enquanto acontecem, há outras que são indeléveis... Não sei se lamento, ou se me orgulho... Não sei se foi melhor assim, ou se podia ter sido evitado...
No entanto, se eu pudesse voltar atás, não aprenderia a seguir em frente... secalhar, foi mesmo melhor assim...