29 de Abril de 2011 ♥

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

#3 - Carta para os teus pais

Uma carta para vocês? Nem sei bem por onde começar, tenho tanto por dizer, mas tão pouca ideia de como explicar. Tudo o que me ensinaram até agora, é aquilo que faz crescer o meu orgulho (já) tão grande por vocês. Todos os dias, mesmo esgotados, vocês me ensinam o que devo fazer aqui, e ali. Ao final de cada dia, conseguem arranjar uma paciência quase impossível, para me aturarem e darem-me a atenção que muitas vezes peço. Sou muitas vezes incorrecta, as minhas aitudes, muitas delas, são tomadas de cabeça quente. Mas só porque a compreensão que têm comigo, é mínima. Estão ambos tão esgotados com os vossos problemas que não se conseguem aperceber que eu preciso apenas de compreensão, em relação às minhas atitudes. Preciso que compreendam que em mim também existe cansaço e que eu não sei, nem quero lidar com os vossos problemas. Quero que os dois compreendam que eu não sou uma adulta madura, capaz de suportar os vossos fardos e as vossas rotinas. Quero que se apercebam que transporto em mim uma fragilidade inexplicável, e que não aguento qualquer tipo de pressão ou chantagem. Percebo que se sintam frustrantes e fúteis, mas não deveria de ser assim. Pelo menos, a meu lado. Parece que quem vos tem de ensinar sou eu. E o pior, é que nenhum de vocês mo deixa fazê-lo, mesmo sabendo que é para vosso bem. Preciso que arranjem a força que perderam, para eu ganhar também a minha e não me exaltar cada vez que digo algo e vocês não compreendem. Embora tudo isto seja diário, eu continuo a amar-vos desde o dia em que me conceberam. Amo-vos. (e não digo mais nada, porque não me apetece mesmo nada.)