29 de Abril de 2011 ♥

domingo, 19 de dezembro de 2010

#4 - Carta para o teu irmão ou parente mais próximo

És meu irmão, és a pessoa de quem eu tenho mais orgulho. És a compreensão que em todas as situações e momentos apoia a minha insegurança e confusão. És quem me ensinou e continua a ensinar tudo o que sei hoje, até as mais meras coisas. És-me verdadeiramente chegado e já não me imagino viver sem ti, por mais absurdo que pareça. És tanto, que nem sei como te caracterizar. És a pessoa que me chama sempre à razão, mas ao mesmo tempo a que tenta sempre compreender o meu lado. És aquele que me faz realmente sorrir, todos os fins-de-semana. Anseio cada um, como se o mundo fosse acabar. Desejo infinitamente a sexta-feira, para te poder ver chegar e dar-te o maior abraço do mundo, como é habitual. Os dias sem ti são horríveis, a nossa casa sem ti não é nada, eu sem ti não sou eu. Adorava voltar aos tempos em que tudo era perfeito e em que as preocupações não existiam. Adorava poder voltar a mandar-me para o sofá contigo, a correr de uma ponta da casa para a outra contigo, a deitar-me no meio da terra, com uma mochila às costas e com uns binóculos roubados ao pai, contigo, adorava poder voltar aos tempos em que todos os dias me ensinavas uma coisa nova. Fazes-me imensa falta, mais do que possas imaginar. Penso em ti todos os dias, e em como seria bom se estivesse neste momento a tocar contigo ou a mostrar-te alguma coisa. Estar longe de ti é doloroso, mais doloroso que uma ferida grande na minha própria pele. É doloroso não ouvir o som da tua guitarra e o teu pé a marcar compasso. É doloroso olhar para o corredor que vai dar ao teu quarto e não ver nem uma luz acesa, especialmente quando isso se repete todos os dias. Tenho medo de te perder, e só de pensar nisso começo a chorar sem parar. Eu adoro-te irmão muito mesmo, e só quero que me abraces como abraças todas as sextas! :)